Portabilidade de crédito

Portabilidade de crédito cresce no país

Portabilidade de crédito cresce no país, mas pode avançar ainda mais

Boxe traz informações sobre o perfil de tomadores de crédito no país, o impacto na taxa de juros nas modalidades de crédito analisadas e o índice de sucesso do instrumento.


Há um universo significativo de cidadãos que poderiam se beneficiar da portabilidade de crédito. Essa é a conclusão do boxe “Evolução da portabilidade de crédito no Brasil: comportamento e perfil”, que integra o Relatório de Economia Bancária do Banco Central. Nas operações de crédito com garantia, o potencial da portabilidade pode ser medido pelo número de tomadores de crédito com taxas de juros acima da média do mercado. Nessas condições estão 18,9 milhões de pessoas no crédito consignado, 4,2 milhões no financiamento de veículos e 493 mil no crédito imobiliário.
Em relação ao impacto nas taxas de juros, a pesquisa revela que houve redução média de 2,9 pontos percentuais ao ano no crédito imobiliário e 5,7 pontos percentuais para o consignado. Assim, houve melhora nas condições de crédito dos cidadãos que utilizaram a portabilidade.
O boxe mostra ainda que em 2020 foram registradas 6,3 milhões de solicitações de portabilidade de crédito, das quais 62% foram efetivadas e 13% foram retidas pela instituição financeira original após negociação com o cliente. Com isso, o índice médio de sucesso do instrumento é de 75%. Do total de solicitações, 15% são canceladas por erro da instituição original na localização do número do contrato ou por falha do tomador ou instituição proponente.

pessoas se beneficiando da portabilidade de crédito

O estudo também revela que, do total de reclamações registradas no Banco Central em 2020, 4,59% foram relativas à portabilidade de crédito. Isso fez com que o assunto figurasse apenas na 19ª posição no último trimestre de 2020 no Ranking de Reclamações, o que mostra que dificuldades operacionais não parecem limitar a realização da portabilidade.
Saiba mais
A portabilidade de crédito, que foi regulamentada em 2006 pela Resolução CMN nº 3.401, é a quitação antecipada de contratos de operações de crédito e de arrendamento mercantil, mediante o recebimento de recursos transferidos por outra instituição.
O objetivo da portabilidade de crédito é permitir, ao devedor, a busca de condições mais vantajosas para uma operação de crédito em curso. Assim, é um importante estímulo à concorrência entre as instituições financeiras, que podem oferecer melhores condições para um cliente. Fatores que podem motivar a demanda dos consumidores pela portabilidade de crédito incluem redução nas taxas de juros, crédito adicional, alongamento do prazo, entre outras conveniências.
Tags: No tags

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *